Indústria no marketplace em 5 passos

março 10, 2017
Equipe Skyhub

Indústria-no-marketplace-em-5-passos

Indústria no marketplace em 5 passos

Muitas indústrias buscam por soluções para aumentar a receita e a criação de um e-commerce, onde possam vender os produtos fabricados por elas diretamente para o consumidor final. Alguns desafios podem surgir nessa etapa, como a forma que irão se estabelecer para não competirem com as varejistas que são suas parceiras ou mesmo no sentido de experimentar as vendas diretas, mas sem prejudicar o orçamento investido em algo que acabe fracassando.

Esse tipo de situação representa um misto de oportunidades e dúvidas aos gestores das fabricantes e impõe a urgência de se encontrar um caminho equilibrado que equacione os desafios das vendas diretas e da necessidade de aumentar a receita. Uma oportunidade que balanceia isso é fazer essas vendas por meio do marketplace. Isso porque o investimento inicial é muito baixo e a indústria já consegue analisar o comportamento de seus produtos e aceitação deles pelos consumidores de imediato.

Mas a pergunta é: como inserir sua indústria no marketplace?

Além de checar se o registro da indústria permite a venda pelo modelo B2C ou, caso não permita, fazer os procedimentos jurídicos necessários para regularizar esse aspecto e poder emitir nota fiscal, vale seguir depois estes 5 passos:

1) Identifique seu mercado e capacidade logística

Este é um passo  necessário antes de começar a inserção dos produtos nos marketplaces. Se você tiver uma boa ideia de seu segmento, público-alvo, comportamento do mercado e consumo de seus produtos, além de preços com margens máximas e mínimas, isso será um passo largo dado por sua empresa. Ter essa ideia ajudará não apenas na administração da sua loja virtual no marketplace, mas até mesmo na escolha dos canais com os quais irá integrar.

2) Solicite sua entrada no marketplace

Quando você já tem uma boa ideia de quem é o público final de seus produtos, consegue escolher bem os marketplaces que dialogam melhor com esse perfil. Assim, pode fazer a solicitação para entrar em um ou em mais de um deles. Em geral, as lojas disponibilizam um formulário de cadastro e após preenchê-lo elas podem solicitar mais informações pessoais e sobre seu CNPJ. Quando validarem tudo, a integração será liberada.

3) Faça a integração usando uma integradora

Especialmente grandes fabricantes, que lidam com um portfólio de produtos bastante significativo podem encontrar mais dificuldade para fazer a integração de forma manual. Esse processo pode gerar erros e a fabricante acabar perdendo negócios se não alinhar tudo corretamente. Por isso, vale muito a pena investir em uma integradora de marketplaces para que as informações de ERP, plataformas, e todos os canais em que você esteja fiquem alinhadas. 

4) Gerencie pedidos e estoque

Na integradora o processo de gestão é bem fácil, já que o estoque da fábrica e dos marketplaces fica totalmente centralizado. Os pedidos vindos a partir destes canais de venda ficam todos lá, com o status de aprovação, envio e entrega. De qualquer forma, cabe ao gestor garantir a fluidez de todo o processo e que todos os pedidos sejam entregues ao cliente. Também vale estar preparado para responder dúvidas mais específicas dos clientes que podem ser repassadas pelo canal de atendimento do marketplace.

5) Receba pelo que vender

Os produtos são seus e os resultados idem, claro. Mas como o marketplace cede toda a estrutura, segurança, investe em marketing e atrai os clientes para comprarem seus produtos, ele requer uma comissão pela venda. Essa taxa gira em torno de 16% e precisa ser pensada antes de você precificar seus produtos. Quando o cliente paga a conta, a loja desconta a comissão e efetua o pagamento que pode ser mensal, quinzenal ou diário, conforme o canal. Alguns deles permitem até um adiantamento da data de recebimento, com a cobrança de uma taxa um pouquinho maior que a de costume.

Estes são os passos mais básicos para você inserir sua indústria no marketplace e começar a vender por este canal. Mas, lembre-se que poderá contar sempre com a ajuda de sua integradora em todas as etapas, inclusive para intermediar sua entrada e agilizar a aprovação. Não deixe de usar essa estrutura e, o mais importante, capturar todos os negócios potenciais que podem ser gerados por lá!

*Publicado originalmente no E-commerce Brasil
[contact-form-7 404 "Not Found"]

No comments

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *